Renato Scarpin

 
 
Você está em: Home
 
 

MULHERES, TANTA COISA EM COMUM - CLIQUE AQUI

E-mail Imprimir PDF
COMÉDIA DRAMÁTICA ‘MULHERES, TANTA COISA EM COMUM’ - NO TEATRO AUGUSTA -

 



Com texto e direção de Renato Scarpin, a peça fala do universo feminino com humor, tratando de temas polêmicos como infidelidade, aborto, amizade, relacionamento e tudo de forma descontraída, mas sem deixar de ser profunda e emocionante!


MULHERES, TANTA COISA EM COMUM, texto inédito de Renato Scarpin, estreou em outubro de 2012 com casa cheia na maior sala do Teatro Ruth Escobar e, devido ao sucesso, reestreou em fevereiro de 2013, na mesma sala.

A PEÇA REESTRÉIA NO DIA 01 DE JULHO NO TEATRO AUGUSTA, E FICARÁ EM CARTAZ ÀS QUARTAS E QUINTA SEMPRE ÀS 21 HORAS.

A peça, que tem direção do autor e conta no elenco com as atrizes Carô Pesciotto e Maritta Cury. Trata-se de uma comédia dramática que fala do universo feminino com humor, através de duas histórias entrelaçadas, intrigantes, onde a infidelidade dos casais é apenas o estopim para tratar de temas polêmicos, divertidos e emocionantes.

Duas mulheres que não se conhecem marcam um encontro em um café. Amanda é empresária e Tati, bailarina. Durante a conversa, o público descobre que, sem elas saberem, estão envolvidas em situações de infidelidade. Entre acusações e mistérios, falam de situações divertidas do cotidiano feminino e uma excitante sequência de revelações denuncia que elas têm muita coisa em comum, tornando o espetáculo bastante instigante. É diante desse quadro que se estabelece uma relação improvável, divertida e surpreendente entre essas duas mulheres. O texto também aborda os motivos que fazem um homem ou uma mulher traírem.

“Quando comecei a escrever esse texto, queria falar do universo feminino, de suas queixas, idiossincrasias, etc. Tinha a ideia de escrever uma grande comédia. Mas, durante o processo, fui surpreendido por situações dessas personagens que pediam mais profundidade, mais poesia e emoção. Surgiram temas polêmicos como aborto, infidelidade, morte e traição e deixei a imaginação conduzir. Me dediquei a trazer leveza pra esses assuntos, mas sem deixar com isso a profundidade que os temas exigem. Falar de mulheres e todas as suas peculiaridades, como expectativas com o sexo, com o parceiro, com a família, suas ansiedades, intrigas e o jogo de regras obscuras que elas têm entre si, é um grande desafio pra um cara como eu, que tenho meu lado machão mais contundente que minha porção feminina!”, revela Renato Scarpin.

A montagem é realista e o foco é no trabalho das atrizes e no texto, que revelam que nem tudo é como parece ser e que duas pessoas, completamente diferentes na forma de agir, de se portar, de conduzir suas vidas, têm mais coisas em comum do que poderiam imaginar. “Uma mulher, independente do estilo que adote, do trabalho que escolheu e das experiências de vida que teve, sempre é uma mulher!”, brinca Scarpin, também autor e intérprete do solo de humor “Engolindo Sapo pra um dia comer Perereca”, sucesso em cartaz desde 2009.

A cenografia é assinado pelo artista plástico Cesar Rezende de Santana e apresenta a fachada de um café casual e mais sóbrio, trazendo um pouco de frieza a esse primeiro momento do espetáculo e, com praticamente as mesmas estruturas e objetos, se transforma em um estúdio de ballet, com a leveza de peças em acrílico, cores e iluminação leves para retratar mais dinâmica e humor, utilizando-se do recurso da transparência de alguns objetos, para fazer um paralelo ao momento de grandes revelações do texto. Vanderlei Conte assina a luz, que valoriza os climas do espetáculo, com momentos de tensão, mistério e outros de leveza e dinâmica. Os figurinos, de Camila Laczko, são bem realistas e captam totalmente a personalidade de cada personagem, tanto nas cores como nos modelos e estilos. Assim também acontece no trabalho do visagista Andre Mateus, da Cabelaria, que retrata as personalidades e estilos de vida com o corte e penteado dos cabelos. Por fim, Fran Landhin é o responsável pela sonoplastia, que acompanha um clima de naturalidade, realismo e modernidade, utilizando-se de recursos de percussão e também melódicos.

O andamento da trama e, principalmente, o desfecho realçam a delicadeza do texto, pois o autor se utiliza do que poderia ser uma ‘boba coincidência’ para desenvolver um texto engraçado, polêmico e emocionante.

Renato Scarpin: Consistente carreira como ator na televisão, com trabalhos de destaque como o padeiro Joaquim em “Um Só Coração” (TV Globo); mais de 25 espetáculos teatrais como ator; escreveu 4 textos teatrais; dirigiu 7 peças; atuou em longas-metragens e centenas de filmes publicitários – entre eles, a cômica campanha da Topper (Rugby e Futebol). Há 6 anos em cartaz fazendo grande sucesso com o solo de humor de sua autoria “Engolindo Sapo pra um dia comer Perereca”. Na Rede Globo fez: Um Só Coração, Torre de Babel, Andando nas Nuvens, Malhação, Vila Madalena, Mulher e Zorra Total. No SBT: Um Rosa com amor, Esmeralda e Amigas e Rivais. Na Record: Bicho do Mato. Na TV Band: Água na Boca. Renato Scarpin foi convidado a dar entrevista no Programa do Jô duas vezes. ; Acesse o site www.renatoscarpin.com.br.

Ficha técnica:

Direção e Texto: Renato Scarpin

Elenco: Carô Pesciotto e Maritta Cury

Iluminação: Vanderlei Conte

Cenografia: Cesar Rezende de Santana

Cenotecnia e Adereços: Cesar Rezende de Santana

Sonoplastia: Fran Landhin

Operação de Luz: Vanderlei Conte

Operação de Som: Rafael Junqueira Tebet

Figurinos: Camila Laczko

Visagismo: Andre Mateus / Cabelaria

Coreografia: Cristiane Mendes

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

Fotos de divulgação: Adágio Produções/Joilson Kariri

Arte Gráfica/ Identidade Visual: Alpio Stanchi

Realização: Rhaiz Produções Artísticas - Carô Pesciotto e Maritta Cury

Para Roteiro:

Mulheres, tanta coisa em comum – Uma comédia dramática que fala do universo feminino com humor e aborda os motivos que fazem um homem ou uma mulher traírem, através de duas histórias entrelaçadas, intrigantes, onde a infidelidade dos casais é apenas o estopim para tratar de temas polêmicos, divertidos e emocionantes.

Texto e direção: Renato Scarpin.

Elenco: Carô Pesciotto e Maritta Cury.

Duração: 70 minutos.

Gênero: Comédia Dramática.

Recomendação: a partir de 14 anos.

Ingressos: R$ 50,00 inteira e R$ 25,00 meia-entrada.

Quando: Quartas e Quintas, às 21h

.

Por tempo indeterminado.

Teatro Augusta – Sala Paulo Goulart (capacidade 304 lugares).

End: Rua Augusta, 943 – Cerqueira Cesar – Informações (11) 3231-2042 / 998-494-234.

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Bilheteria:

 Quarta, Quinta e Sexta das 14h às 21h

Sábado das 13h às 23h30

Domingo das 13h às 20h .

Aceita cartões de crédito e débito. Não aceita reservas. Acesso a Deficientes Físicos.

Venda de Ingressos por telefone (2122-4001 ) e site (www.compreingressos.com).

Estacionamento ao lado do Teatro.


Maritta Cury – (11) 998-494-234 Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.